quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Indicação do Mês: O Show de Michael J. Fox (The Michael J. Fox Show)

É o último post de 2013. Sim, sim, sim! A última Indicação do ano. Muitas coisas boas aconteceram, muitos especiais surgiram, muitos filmes foram escritos, muitas homenagens foram prestadas. Agora, estamos a alguns dias de mais uma virada e a chegada de um novo tempo que, mais uma vez, promete ser bem interessante. Como foi dito no post de Natal, estes últimos dias de recesso servem para comemorar e refletir. Então, nada melhor do que fechar com chave de ouro do que colocar uma indicação que nos faz refletir a cada minuto. O post de hoje é sobre uma série que acabou de sair do forno com o retorno de uma das lendas das telonas para as telinhas. Com vocês:



The Michael J. Fox Show (2013), tem o mesmo título no Brasil. Resumidamente e basicamente, esta série é uma comédia inspirada na vida do ator principal, Michael J. Fox. As únicas diferenças são que o personagem tem 03 filhos enquanto que o ator tem 04, a profissão (na série ele é um âncora jornalístico) e o sobrenome. Inclusive, o sobrenome é o motivo da única curiosidade até o momento:

  • Enquanto o piloto estava em desenvolvimento, o sobrenome original de Mike foi Burnaby, nome do subúrbio de Vancouver, onde Michael J. Fox passou a maior parte de sua infância. Após a NBC pegar a série, foi alterado para Henry.

Criada por Will Gluck e Sam Laybourne, O Show de Michael J. Fox foi ao ar pela primeira vez no dia 26 de Setembro de 2013. O elenco ainda é formado por: Betsy Brandt, Katie Finneran, Juliette Goglia, Conor Romero, Wendell Pierce e Jack Gore. 

Ao todo, foram apresentados 11 episódios até a presente data e em absolutamente todos eles podemos tirar grandes lições de vida. O esqueleto dos capítulos é muito bem desenhado: explorar o dia a dia de um pai de família famoso que tem o mal de parkinson e como ele lida com tudo isso. Então, comicamente, ele é introduzido em diversas situações que vão desde a leve brincadeira de pegar comida com uma colher até mesmo o comportamento quando uma vizinha gata joga seu charme para conquistá-lo. Ao final de cada periódico, o narrador, que é o próprio Fox, nos remete a pensamentos sobre o seu cotidiano que nos fazem refletir sobre a vida e suas peripécias.  Cá pra nós, ter a noção da dimensão das suas limitações, saber de todas as suas dificuldades e problemas e mesmo assim conseguir brincar com eles expondo para todo o mundo mostra que realmente Michael J. Fox é o rei da superação. E esta sim é a melhor lição que esta série pode nos passar!

O Blog é amador mas a curiosidade é cinematográfica!

Boa Série e ATÉ 2014!!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O Grinch (How The Grinch Stole Christmas)

Estava lendo o Post de Natal do ano passado e vi que comecei falando: Então, é Natal!. Realmente, é Natal! Mais um ano está chegando ao fim e, parafraseando a tal canção da cantora Simone: O que você fez? Conseguiu atingir os seus objetivos? As metas que traçou em Janeiro de 2013 foram traçadas? Os amores conquistados? A saúde mantida? Todo final de ano paramos para fazer um balanço do que aconteceu e ver como podemos melhorar a nossa vida para os próximos 12 meses. Por enquanto, vamos aproveitar a festa natalina e o seu momento de confraternizar, de unir, de se alegrar. Bom, isso acontece para todo o mundo, menos para:



O Grinch, versão traduzida do título original, How The Grinch Stole Christmas (2000) é baseado no livro do famoso Dr. Seuss. Dentro de um floco de neve existe a terra mágica de Whoville. Lá, vivem os Whos, uma espécie quase mutante de pessoas. Todos os Whos amam o Natal, mas do lado de fora da cidade vive O Grinch. O Grinch (Jim Carrey) é uma criatura desagradável que odeia o Natal e faz planos para roubá-lo dos Whos que ele abomina igualmente. No entanto, uma criança pequena, Cindy Lou Who (Taylor Momsen), decide tentar fazer amizade logo com o Grinch.


As melhores curiosidades se concentram na produção do filme. Vamos conhecer as melhores:


  • A prótese de maquiagem que Jim Carrey usava levava 3 horas para se aplicar. Carrey sentia-se tão horrivelmente confinado e desconfortável na pele de látex que precisava de um aconselhamento de um SEAL da Marinha que lhe ensinou técnicas de tortura de resistência.
  • Uma manhã, o diretor Ron Howard chegou às 3h30 para colocar a roupa do Grinch e dirigiu o dia inteiro assim. Jim Carrey disse que quando viu pela primeira vez Ron Howard na roupa de Grinch, ele ficou irritado, confundindo o diretor com um dublê que parecia em nada com ele.
  • As lentes de contato amarelas de Jim Carrey revelaram-se tão desconfortáveis que ele não foi capaz de usá-las às vezes durante as filmagens. Para isso foi necessário que os seus olhos fossem coloridos na pós-produção em algumas cenas.
  • Anthony Hopkins registrou toda a sua narração para o filme em um dia. Um monstro!!!
  • Foi o filme mais vendido nos cinemas em 2000. 50 milhões de dólares!!
  • A cena em que O Grinch está dirigindo seu cão, Max, antes de roubar o Natal, é Jim Carrey fazendo uma paródia do diretor Ron Howard.
  • Jim Carrey passou 92 dias  usando a maquiagem do Grinch que gastava 2 horas e meia da manhã para ele entrar, e uma hora à noite para sair. Segundo o ator, ele se tornou um "mestre zen" ao sentar-se na cadeira de maquiagem.

Tanto sacrifício de Carrey valeu a pena. Ele levou mais de 20 milhões de dólares para o seu bolso. O orçamento da produção ficou estipulada em 123 mi. O roteiro, adaptação do livro de Dr. Seuss, foi escrito por Jeffrey Price e Peter Seaman. Por vários momentos, o diretor Tim Burton levava a dianteira para comandar a película. Ela ficou mesmo com brilhante Howard, que conseguiu passar, dentro dos 104 minutos, toda a emoção que o Natal tem para as pessoas. Quer dizer, para os Whos

Esta mistura de comédia com fantasia mostra que, até para um bichinho verde malvado o espirito natalino de união, confraternização e bondade pode ser adquirido. Então, não importa se você é uma pessoa ou um Who. Não importa se você vive em uma casa ou num floco de neve. Não importa se você é verde ou não. O que importa é que eu desejo a você e toda a sua família um FELIZ NATAL!

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Um Sonho de Liberdade (The Shawshank Redemption)

Fenômeno. Palavra utilizada para adjetivar coisas ou seres especiais, fora do comum, incríveis. Procurando no dicionário português esta foi a melhor descrição que encontrei para classificar, se é que isso é possível, a película de hoje. Indicado a 07 Oscar´s. Vencedor de 15 prêmios. Derivado de um livro escrito por Stephen King. O filme mais alugado em 1995. Presente nas diversas listas das melhores produções de todos os tempos. Com vocês:



The Shawshank Redemption (1994) narra a história de Andy Dufresne (Tim Robbins), um jovem e bem sucedido banqueiro cuja vida muda drasticamente quando é condenado e sentenciado à prisão perpétua pelo assassinato de sua esposa e seu amante. Situado em 1940, o filme mostra como Andy, com a ajuda de seu amigo Red (Morgan Freeman), o empresário dos prisioneiros, acaba por ser um prisioneiro muito pouco convencional.


E justamente pouco convencionais é que podem ser classificadas as curiosidades sobre esta produção. Vamos conhecer as melhores:

  • Filme favorito de Morgan Freeman, de acordo com sua opinião.
  • A primeira cena de bate-papo de Andy e Red - em que Red está lançando uma bola de beisebol - levou 9 horas para atirar. Morgan Freeman ficou jogando beisebol durante todas as nove horas, sem uma palavra de queixa. Ele apareceu para trabalhar no dia seguinte com o braço na tipóia.
  • Stephen King vendeu os direitos do seu livro para o filme por um dólar.
  • As imagens de um jovem Morgan Freeman que estão ligados a seus papéis de liberdade condicional são realmente imagens do filho mais novo de Morgan, Alfonso Freeman.
  • Na cena quando Andy chega na biblioteca como assistente de Brooks e vê o corvo Jake gritando, Tim Robbins falou:" Ei, Jake. Onde está Brooks?". O corvo não parava de chiar. Robbins foi capaz de se adaptar a este tempo entre chiados para então poder fazer a sua fala perfeitamente de modo que o diretor Frank Darabont elogiou ele. A improvisação de Robbins é perceptível quando ele vê o pássaro com cuidado ao abordá-lo, esperando-o chiar, para depois começar a sua linha.
  • A ambulância que levou Boggs embora teve de ser empurrada pois seu motor tinha morrido em cena.
  • Apesar de um sucesso muito modesto nos cinemas, tornou-se uma das maiores locações de vídeo de todos os tempos.
  • Excepcionalmente a narração foi gravada antes do início das filmagens. Infelizmente, houveram imprevistos nas filmagens e nas edições. Por conseguinte, teve de voltar a ser gravado em um estúdio próprio num tempo que levou 3 semanas.

Frank Darabont adaptou o roteiro e dirigiu o filme. Seu orçamento foi estipulado em 25 milhões de dólares. O elenco ainda conta com: Bob Gunton, William Sadler, Clancy Brown e Gil Bellows. Neste filme só existiram 02 atrizes que tiveram falas em cena. A grandiosa história contada durante os incríveis 142 minutos demonstram constantemente no paradoxo de ideais entre Andy X Red, que culminam numa série de aprendizados entre ambos. Enquanto Andy acreditava e se prendia na esperança, Red já não sabia mais o que era isso. Afinal, passar mais do que 30 anos numa prisão deve fazer com que se perca a essência desta palavra. Neste meio termo, sub roteiros deixam a trama cada vez mais envolvente, fazendo com que não só os prisioneiros, porém todos os telespectadores se agarrem a uma só luz: Um Sonho de Liberdade

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme!

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

O Procurado (Wanted)

Na vida, sempre procuramos por algo. Um trabalho melhor, uma pessoa para nos acompanhar até o fim, uma cidade para chamarmos de lar. A procura nos faz se movimentar, sair da inércia que um dia podemos nos encontrar. É o que nos move neste percurso. Agora imaginem se no meio de tanta procura o alvo fosse você?? Bom, é partindo daí que surgiu a premissa de:



O Procurado, título traduzido do original Wanted (2008) narra a história de um jovem, Wesley (James McAvoy), que descobre que seu pai, antes desconhecido, é um assassino. Após finalmente saber que ele existe, o jovem vê seu pai ser assassinado. Wesley então é recrutado para uma antiga organização que seu pai era integrante e passa a ser treinado por um homem chamado Sloan (Morgan Freeman) para buscar a sua vingança. 


Aproveitando a oportunidade, vamos procurar saber sobre as melhores curiosidades desta produção:

  • James McAvoy começou os testes para o papel principal no início de 2006, mas foi inicialmente rejeitado, já que o estúdio queria um protagonista mais "convencional". Ele foi mais tarde lembrado quando os produtores decidiram que seu personagem era mais "o nanico da ninhada". O estúdio em última análise, mudou de ideia e queria alguém nerd. McAvoy conseguiu o papel.
  • Este é o primeiro filme americano do diretor Timur Bekmambetov.
  • Originalmente uma história em quadrinhos pela Top Cow Productions escrita por Mark Millar.
  • Angelina Jolie disse que baseou o seu papel em Clint Eastwood.
  • Filmado em Chicago, no mesmo local e época do filme Batman - O Cavaleiro das Trevas, em que Morgan Freeman trabalhou também. Em uma ocasião, Mark Millar, o criador, furtivamente entrou no set vizinho para ver o Batpod - que foi usado para as filmagens. Ele foi expulso quando a segurança o pegou em flagrante.
  • James McAvoy trabalhou pesado para melhorar seu físico para as cenas de ação do filme, e sofreu várias lesões durante a gravação, incluindo um tornozelo torcido e uma lesão no joelho.


O Procurado teve seu orçamento estipulado em 75 milhões de dólares. Desses, 15 foi o salário de Angelina, a atriz principal do filme. Em um ano de exibição, já tinha faturado mais de 135 milhões. Um sucesso de público e de roteiro, que foi uma adaptação feita por Michael Brandt, Derek Haas e Chris Morgan. Ao final dos 110 minutos de exibição, Wesley faz justiça encontrando o que tanto procurava e até o que não procurava. Escolhemos o nosso destino através das respostas que perseguimos. Nem sempre é a que queremos, porém faz parte da regra do jogo ter que lidar com essas decisões. No nosso mundo não tão distante dos personagens, ou você caça, ou é caçado. Ou se procura, ou é procurado. 

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme!




sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Indicação do Mês: Blackrock

Juro que o título do filme não tem nenhuma relação com o dia de hoje. Juro que tinha pensado nesta homenagem muito antes deste dia. É apenas uma coincidência. E por falar nesta palavra, coincidência, ela pode ser tanto positiva, quanto negativa. E a última vertente é o que tange o roteiro desta película. A premissa da história parte de uma seguinte pergunta, que também faço a vocês: Você entregaria um conhecido, um amigo, um parente à polícia em prol da justiça? Bom, é isso que vemos em:




Blackrock (1997) se passa em New South Wales onde Jared (Laurence Breuls) surfa com seus companheiros e tem sua primeira paixão. Ele faz então uma festa na praia para seu amigo mais velho que chegou de viagem, Ricko (Simon Lyndon). No meio da festa, ele vai para a praia e testemunha quatro dos seus companheiros estuprarem uma jovem de 15 anos. Ele não fez nada, e no dia seguinte, ela é encontrada morta. Na escola, os meninos e as meninas reagem: as meninas com raiva do agressor, os meninos zombando da imoralidade da menina morta. Os pais dos alunos têm as suas próprias respostas. Jared se retira em silêncio, com raiva e nojo por ele não ter feito nada para ajudar a menina morta. Enquanto isso, sua mãe se prepara para sua cirurgia de câncer iminente e a polícia quer saber o que ele viu.


A única curiosidade que existe sobre esta produção é a mais chocante de todas: este roteiro foi baseado numa história real. 


Dirigido por Steven Vidler sob a adaptação de Nick Enright, Blackrock foi todo filmado na Austrália. Ganhou no ano de lançamento o prêmio de Melhor Adaptação no país e teve mais 8 indicações por lá. Este thriller tem, nos seus 103 minutos, reviravoltas e complicações impressionantes. Podemos acompanhar então o drama de Jared que se vê diante de uma dúvida onde tudo que ele pode ouvir é o seu silêncio. Uma terrível coincidência o fez estar no lugar errado na hora errada. Ou seria no lugar certo na hora certa? Fazer justiça ou dedurar os quatro amigos que ele não sabe se mataram a menina? E você, faria o que?

O Blog é amador, mas a curiosidade é cinematográfica!

Bom Filme!

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Divisão de Homicídios (Hollywood Homicide)



The Temptations é um grupo vocal americano que ganhou fama e notoriedade com canções bem sucedidas ao longo das mais de cinco décadas de existência. Com um ritmo mais voltado para o R&B, suas obras lhes renderam diversos prêmios e três de suas canções foram consideradas como uma das 500 que formaram o Rock and Roll. Uma delas é a que você deve estar escutando agora, provavelmente. 

My Girl, lançada em 21 de Dezembro de 1964, figurou em primeiro lugar nas paradas de sucesso no ano seguinte. Foi escrita para a esposa do compositor, Smokey Robinson e compõe a trilha sonora de diversos filmes. Um deles, é o nosso post de hoje. Então, ao som desta bela música, com vocês:




Hollywood Homicide (2003), no título traduzido, Divisão de Homicídios, é uma daquelas fórmulas de sucesso que mixa ação com comédia. No enredo, quando não estão resolvendo assassinatos em Tinseltown, o detetive Joe Gavilan (Harrison Ford) e seu parceiro novato Kasey Calden (Josh Hartnett) tem outros trabalhos: Gavilan vende imóveis (e muito mal por sinal) e Calden aspira se tornar um ator (péssimo também!). Mergulhados num novo assassinato de um grupo de rap jovem promissor numa boite, os dois detetives se aprofundam na indústria fonográfica, onde eles esperam encontrar respostas, de preferência aquelas que também vêm com compradores de imóveis ou audições de peças de teatro.


As curiosidades desta produção misturam realidade com a ficção. Vamos conhecer as melhores:

  • O diretor Ron Shelton conheceu o co-escritor Robert Souza em A Face Oculta da Lei. Ex-policial, Souza foi assessor do filme. Shelton ficou tão impressionado, que pediu a Souza para ajudá-lo a co-escrever o seu próximo filme.
  • Gavilan é baseado em Robert Souza, que era um detetive de homicídios e um corretor de imóveis em seus últimos dez anos de trabalho. A cena em que um bandido algemado rouba a arma do cinto de um oficial de patrulha e começa a atirar no estacionamento realmente aconteceu durante o mandato de Souza.
  • A subtrama de Gavilan tentando vender a casa de Jerry Duran para Julius Armas é baseado na tentativa de Robert Souza para vender a casa de Robert Evans para Dodi Fayed, que estava no negócio da música no momento e para quem Souza fez um trabalho de guarda-costas.
  • De acordo com o comentário no DVD, os papéis que Harrison Ford e Josh Hartnett fazem no filme são quase inversos aos atores na vida real. Gavilan (Ford) é bom de tiro e quase um dublê de motorista. Calden é um péssimo atirador e excelente motorista. Na realidade, Ford não gosta de armas enquanto Hartnett é um bom atirador. Por outro lado, Josh não gosta de dirigir, enquanto Ford é, de acordo com Ron Shelton, "...um louco atrás do volante".
  • Ron Shelton disse que, de acordo com o material de origem com quem trabalhou, KC Calden deixando o roteiro na casa de Jerry Duran foi vagamente baseado em um evento real. Um policial e aspirante a escritor foi enviado para uma casa para investigar um crime. Quando soube que o proprietário era um produtor de cinema, o oficial correu para seu carro, trouxe um roteiro que ele estava trabalhando e deu para o produtor!

 
O elenco ainda é completado com nomes como: Isaiah Washington, Lena Olin, Bruce Greenwood, Keith David e Lou Diamond Phillips. Seu orçamento ficou cravado na marca dos 75 milhões de dólares. Além desses atores, por mergulhar no mundo fonográfico, diversos cantores estiveram presentes completando o time de personagens. Kurupt, André Benjamim e Master P são alguns deles. Como fica nítido no filme pela constante aparição, a música do celular de Gavilan é o hit dos Temptations que colocamos acima, para ser a trilha sonora da sua leitura. Ela fecha também a película enquanto os créditos são exibidos. Rapidamente associamos a canção a um outro filme, cujo título original é igual ao da canção, estrelado por Macaulay Culkin. Bom, aí já é um outro dia. Por enquanto, ficamos com a Divisão de Homicídios e seus loucos 116 minutos. 

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas! 

Bom Filme!

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Tudo por Dinheiro (Two for the Money)

Oportunidade. É a melhor palavra que pode descrever as melhores situações de nossas vidas. Quando ela aparece, devemos agarrá-la o mais apertadamente possível. Nunca sabemos quando ela pode acontecer e isso é que faz da vida interessante, imprevisível. A série de fatos que se sucedem ao longo do nosso percurso existencial nos fazem estar no lugar certo e no momento certo em raras ocasiões. Aqueles que tem o timing correto são iluminados. Um exemplo deles é Brandon Lang. Você não sabe quem é!?!?! Eu te explico:



Tudo por Dinheiro, no título original, Two for the Money (2005) conta a história de Brandon Lang (Matthew McConaughey), um jogador de futebol americano que conhece tudo sobre o esporte e vê sua vida profissional ser interrompida por uma lesão. Mas, os seus conhecimentos sobre as jogadas dos seus ex-companheiros de esporte fazem dele um fenômeno no ramo de apostas dos resultados dos jogos. Precisando de dinheiro, ele deixa Vegas para Manhattan para trabalhar para Walter Abrams (Al Pacino), aconselhando apostadores. Walter tem uma esposa devotada, uma filha e um próspero negócio, mas ele tem problemas: um coração vagabundo, uma crença de que ele é um mestre manipulador e vícios postos em xeque. Ele leva Brandon a uma relação de pai e filho. Então, as coisas dão errado. E é aí que o roteiro fica bem interessante. 


Já que falamos sobre o tema, vamos ter a oportunidade de conhecer as melhores curiosidades. Vamos lá:

  • Na época da estréia do filme, o número de telefone de Walter apresentado na televisão (1 800 BET ON IT) foi o número de um serviço de aconselhamento de esportes verdadeiro.tud
  • O marido de Rene Russo, Dan Gilroy, escreveu a parte da esposa de Al Pacino, Toni,especialmente para Russo. Ele usou o nome da irmã de Russo como o nome do personagem.
  • Baseado na história real de Brandon Lang. O Lang real está em uma cena dando saudações ao personagem de Matthew McConaughey.
  • Grande parte das imagens mostradas durante o trailer e os anúncios para o lançamento do DVD do filme são reais. São clipes de vários jogos da Liga USFL.

Dirigido por D.J. Caruso sob o roteiro de Dan Gilroy, Tudo por Dinheiro fala sobre futebol, lesões, relações pai x filho, vícios, apostas e traições. Sem ser redundante, mas sendo, tudo isso por dinheiro. O interessante de se observar é a oportunidade que Brandon teve ao forçadamente encerrar a sua carreira. O destino exerceu a sua mágica e o transformou numa máquina de fazer lucros. Lhe deu uma oportunidade. Então, meus amigos, persigam a oportunidade!! Seja ela para um melhor emprego, para ver alguém que gosta que mora longe, para mudar a sua aparência, para ser feliz. Procurem estar no momento certo e na hora certa. Esse momento vai acontecer. Só precisa se preparar para o quando e onde

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme e Excelente Oportunidade!




sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A Inocência do Primeiro Amor (Lucas)

Quem não se lembra do seu primeiro amor? Marcante por ser verdadeiro, marcante por ser o primeiro. Alguns conseguem sucesso, outros apenas ficam no platonismo. Geralmente iniciado na adolescência, o primeiro amor de uma pessoa carrega marcas que jamais serão esquecidas, ainda mais quando a recíproca é iminentemente verdadeira. Agora, o que acontece quando o seu primeiro amor é uma estudante mais velha do que você? Bom, essa é a história de Lucas. Como assim ?!?!?! Vocês não sabem quem é Lucas? Eu vou contar para vocês:





Lucas (1986) (Corey Haim) é um adolescente socialmente inepto de 14 anos de idade que vive experiências de desgosto pela primeira vez quando seus dois melhores amigos (uma espécie de irmão mais velho (Charlie Sheen) e uma menina com quem ele está apaixonado (Winona Ryder)) sentirem uma queda um pelo outro. Lucas faz de tudo para atrair a atenção do seu novo amor, porém, o coração dela já está em outro lugar. E é aí que que enredo se complica.


Vamos conhecer então a Inocência das melhores curiosidades desta produção:

  • Este é o primeiro filme de Winona Ryder.
  • O coral em destaque na cena do ensaio foi o Coral Viking de Homewood-Flossmoor High School, em Flossmoor, Illinois. As imagens foram feitas em Glenbard West High School, em Glen Ellyn, Illinois.
  • O filme foi rodado durante o verão de 1985 em vários locais na área de Chicago.
  • As falas do ator Gary Cole foram dubladas com a voz de um outro ator.
  • A Escola West Glenbard foi usada para filmar a maioria das cenas exteriores. A alta administração da Escola concordou em permitir que fizesse parte do filme, só depois que a 20th Century Fox concordou em modificar o filme para que a censura fosse alterada para ser um filme mais familiar. 
  • A cena final foi uma refilmagem. A 20th Century Fox voltou a Glenbard por um dia para refilmar a seqüência inteira. O filme se passava no outono, mas eles rodaram essa cena em dezembro de 1985 (na época do Natal) e a temperatura estava em torno de zero, mesmo os personagens tendo que apresentar a imagem de que era outono. Toda a seqüência final foi feita em um longo dia. A equipe começou às 7:00 da manhã e eles só terminaram bem depois da meia-noite.


Dirigido e escrito por David Seltzer, esta película faturou na América pouco mais de 8 milhões de dólares na época. O elenco contava com dois atores que na época estavam estourados (Sheen e Haim). Durante os 100 minutos que compõem este clássico cinematográfico, pode-se perceber que ele retrata o apaixonar pela primeira vez e tudo o que um menino é capaz de fazer para conseguir esse amor, mesmo não obtendo sucesso, uma vez que ela se apaixona pelo personagem que além de ter sua idade, é o jogador de futebol americano mais bem sucedido na escola, o tornando um pop star. Resumo: É mais uma história de um cotidiano comum. Lucas se torna então a personificação de Pedro, Daniel, Augusto, Francisco, Ricardo, João, Guilherme...

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme!


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Indicação do Mês: As Duas Faces de Um Crime (Primal Fear)



Ao belo som deste Fado Português chamado Canção do Mar, da cantora Dulce Pontes, iniciamos mais uma Indicação do Mês. Dulce José Silva Pontes é uma das cantoras portuguesas mais conhecidas no cenário mundial. Compositora, poeta, arranjadora e produtora, sua voz, que considero versátil e emocional, retrata a excelente artista que é. Agora, vocês devem estar se perguntando: o que essa cantora tem a ver com a Indicação de hoje?? TUDO!!! Canção do Mar faz parte, e muito, da trilha sonora de um belíssimo filme que trago aqui. Com vocês:



Primal Fear (1996), traduzindo no português, As Duas Faces de Um Crime, é uma daquelas películas que nos fazem querer ser advogados quando crescer. Este Thriller de tribunais retrata sobre um advogado de defesa famosíssimo (Richard Gere) que trabalha num caso aparentemente invencível de um jovem coroinha (Edward Norton) acusado de assassinar um padre católico influente.


As melhores curiosidades provém da pré produção e de bastidores. Como hoje é a Indicação do Mês, vamos conhecer somente as melhores das melhores:


  • Mais de dois mil atores fizeram testes para o papel de Aaron Stampler. Matt Damon, Leonardo DiCaprio, James Marsden, Edward Furlong e James Van Der Beek eram um deles. 
  • Edward Norton, que conseguiu o papel de Aaron faz a sua estréia nas telonas neste filme. 
  • O filme sofreu um corte brusco, já que ele passava de 3 horas 15 min de exibição, incluindo cenas como a exposição mais detalhada da vida no campo na pequena cidade de Aaron e discussões com seu ex-professor de escola. As cenas foram cortadas também para evitar spoilers sobre o final do filme. 
  • Foi ideia de Edward Norton a gagueira de Aaron. Além disso, quando ele empurra Martin Vail (Richard Gere) contra a parede da prisão, a reação chocada de Gere é genuína, já que o ator não esperava esse empurrão. Além disso, uma outra adição original de Norton foi bater palmas lentas no final.

Dirigido por Gregory  Hoblit sob a adaptação de Steve Shagan do livro de William Diehl, As Duas Faces de Um Crime provou uma excelente performance de improvisação da dupla Gere/Norton, dando destaque para o último que, iniciando nos cinemas, provou ser um grande ator. Dos 30 milhões gastos pela produção, o iniciante Norton levou apenas 50 mil dólares. Isto é que uma boa relação custo x benefício. O elenco ainda é reforçado por nomes como: Laura Linney, Frances McDormand, Terry O´Quinn e Steven Bauer, ator que interpreta Joey Pinero, personagem secundário que nos apresenta o fado português acima falado. A conclusão que chegamos ao finalizar os 129 minutos é a seguinte: Tudo na vida tem dois lados: Moedas, Pessoas, Caminhos. Agora, Duas Faces......só vendo o filme!


O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Boa Indicação!


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Patch Adams - O Amor é Contagioso (Patch Adams)

18 de Outubro de 2013. Hoje, no Brasil, é comemorado o Dia do Médico. Esta profissão tão bela e importante não pode passar batida do nosso humilde blog. Pessoas que salvam pessoas se tornam anjos aos olhos dos pacientes. Seja qual for a forma de tratamento, o simples fato de ajudar um ser humano a melhorar a sua saúde faz destes profissionais mais do que doutores. E, nada melhor do que postar um filme sobre a história real de um médico que salvava crianças de uma forma bem inusitada. Então, com vocês:



Sim, caros leitores, esse daí de cima é o cara. Pra quem não o conhece, eu vou lhes apresentar:




A película começa mostrando que Patch Adams (Robin Williams) está determinado a se tornar um médico, porque ele gosta de ajudar as pessoas. Infelizmente, a comunidade médica e científica não aprecia seus métodos de cura dos doentes, enquanto que os pacientes reais, professores, médicos e enfermeiros do hospital apreciam o trabalho que somente ele pode fazer.


Como é de se imaginar, as curiosidades desta produção são curáveis. Vamos conhecê-las:

  • Durante as filmagens, Robin Williams e o resto do elenco e equipe trabalharam em estreita colaboração com a Make-A-Wish Foundation para satisfazer as fantasias de várias crianças que estavam no momento em tratamento de câncer. As crianças apareceram com Williams em cenas na enfermaria pediátrica.
  • Um dos produtores do filme, Mike Farrell, conheceu o verdadeiro Patch Adams quando Adams atuou como consultor para a série de TV chamada MASH, em que Farrell interpretava um dos médicos do Exército.
  • Quando Dean Walcott está andando pelo corredor, logo antes dele entrar na sala onde Patch está brincando com a cama de hospital, há uma página que diz que para falar com o Dr. Maslow, discar 214. Dr. Abraham Maslow, psicólogo, observou, e desenvolveu a "Hierarquia das Necessidades", que explica como a personalidade reage aos fatores e as necessidades ambientais.
  • Filmado parcialmente na Universidade da Carolina do Norte. Robin Williams fez Stand Up Comedy para algumas classes que estavam em aulas durante as filmagens.
  • O verdadeiro Patch Adams aparece na cena em que o pessoal da escola médica retorna com o veredicto. Ele fica bem atrás de Robin Williams.
  • Na vida real, o amigo íntimo de Patch que foi assassinado era um homem, não um interesse amoroso feminino. Carin é um personagem fictício.

Dirigido por Tom Shadyac sobre o livro do próprio Patch Adams com o roteiro de Steve Oedekerk, O Amor é Contagioso foi nomeado a Oscar por Melhor Canção, porém não levou. Seu orçamento ficou estipulado em 50 milhões de dólares e faturamento na casa dos 135 milhões. O interessante de tudo é que, numa entrevista aqui no Brasil, em 2007, o médico afirmou que nunca disse que "rir é o melhor remédio", e sim que o riso "faz parte de um contexto". Para ele, o melhor remédio é a amizade. Atualmente, com 68 anos, Patch Adams viaja pelo mundo, em locais críticos de guerra para espalhar alegria como prevenção de doenças mentais. Tanto o filme quanto o real personagem plantam sementes que, se copiadas, mudariam e muito o mundo. Pensando melhor, o subtítulo deveria mudar. Ao invés de ser O Amor é Contagioso, deveria ser: O Humor é Contagioso. 

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme e Feliz Dia do Médico!
 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Amigos, Amigos, Mulheres à Parte (My Best Friend´s Girl)

A amizade é algo bonito, inexplicável, inexorável. Um laço construído pelo conhecimento entre duas pessoas que não possuem vínculo algum. Uma relação fraterna que muitas vezes se confunde com uma relação sanguínea. Constantemente vemos exemplos por aí espalhados pelo mundo. Pela saúde desta união, os amigos fazem diversas coisas uns pelos outros, sejam pedidos, conselhos e até mesmo repreensões. Porém, imagine um amigo pedir a você que saia com a mulher que ele ama só para ela perceber a falta que ele faz? Bom, isso é o que acontece com:



My Best Friend´s Girl (2008), traduzido no português, Amigos, Amigos, Mulheres à Parte, narra a vida de Dustin (Jason Biggs)um cara amável que é apaixonado por Alexis (Kate Hudson), uma colega de trabalho. Quando ela diz que só quer ser amiga, ele contrata seu companheiro de quarto, Tank (Dane Cook), um canalha, amoral que tem uma especialidade: fazer com que as mulheres que dispensaram os ex percebam o quanto eles são bons tendo um encontro dos infernos com ele. Ele sai com Alexis que, contra seu melhor juízo, decide que ela precisa de um pouco de diversão, deixando-o num verdadeiro dilema: levar Alexis até a sua oferta se apaixonando por ela, ou manter-se fiel ao seu amigo. 


Gosto de pensar que as curiosidades são as nossas melhores amigas. Sendo assim, vamos trocar confidências com elas:

  • O diretor permitiu que os atores, principalmente Dane Cook, improvisassem extensivamente, muitas vezes divergindo completamente do roteiro. Às vezes, ele gravava uma cena mais de 20 vezes, permitindo que os artistas fizessem algo diferente em cada vez. Isso fez com que o filme se tornasse muito melhor.
  • Para a cena em que Dane Cook agarra e aperta o bumbum de Kate Hudson, foi usada uma "bunda dublê" para isso.
  • O verdadeiro nome do personagem de Dane Cook no filme é Sherman, que também é o nome do tanque principal usado pelas forças armadas dos EUA durante a 2ª Guerra Mundial.
  • O título do filme é o nome de uma canção da banda The Cars. 

Dirigido por Howard Deutch sob o roteiro de Jordan Cahan, este filme é a terceira parceria de comédia entre o ator Dane Cook e a produtora Lionsgate. Contando no elenco com Alec Baldwin, Amigos custou 40 milhões de dólares para ser feito. Tudo isso para contar aos telespectadores que é engraçado o que o amor pode fazer com uma pessoa. Além das boas risadas que podem ser tiradas de você durante os 101 minutos de exibição, o interessante aqui é poder notar que tanto o amor quanto a amizade foram postos à prova numa atitude desesperadamente apaixonada de um rapaz. O bom da história é que, sem querer, ele deu uma cupido. O único problema é que a mulher era o seu grande amor. Mas, ei, isso é o que amigo faz!! Certo??

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme!

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Um Tira Muito Suspeito (Blue Streak)

Azar! Esta palavra dá azar. Pensar nela dá azar. Pronunciá-la, é óbvio, dá azar. Bom, imaginem se existisse uma pessoa cujo sobrenome fosse azar? O quão terrível seria isso!? No mínimo, esta personalidade teria.....azar. Basicamente é isso que acontece na vida de Miles Logan. Então, com vocês:




Um Tira Muito Suspeito, traduzindo no inglês, Blue Streak (1999) conta a história de Miles Logan (Martin Lawrence), um ladrão de jóias que atingiu seu grande momento por roubar um diamante enorme. No entanto, depois de dois anos de prisão após ser pego num flagrante armado pelo seu parceiro, ele vem a descobrir que escondeu o diamante em um prédio da polícia que estava sendo construído no momento do roubo. Em uma tentativa de recuperar o seu diamante, ele se apresenta como um detetive de polícia de Los Angeles. Pronto! Só pode ser azar!!!


Até as curiosidades são tão azaradas quanto o personagem principal. Vamos conhecê-las:

  • Durante a pré-produção, o filme originalmente se encaminhava a levar uma classificação pesada, mas depois de deliberações, o estúdio teve que suavizar o roteiro do filme. Isso significava mudar o enredo, diálogo e personagens. John August foi contratado como um "salva roteiro" para fazer essas mudanças.
  • Havia planos de fazer uma sequencia que nunca se materializou.
  • De acordo com Dave Chappelle no The Oprah Winfrey Show, uma cena foi escrita durante as filmagens em que seu personagem deveria usar um vestido enquanto se disfarçava de prostituta. Chappelle se recusou terminantemente. Os escritores se queixaram aos produtores que, em seguida, tentaram convencer Chappelle para fazer a cena, mas ele ainda se recusou. De acordo com a entrevista, ele sentiu que era parte de uma tendência preocupante em que Afro-Americanos homens se vestiam de mulheres em filmes.

Dirigido por Les Mayfield sob o roteiro de Michael Berry, John Blumenthal e Stephen Carpenter, Um Tira Muito Suspeito custou aproximadamente 65 milhões de dólares para um lucro pequeno de pouco mais de três milhões. A resposta para isso: AZAR!. O mocinho do filme para conquistar o seu prêmio se vê obrigado a fazer exatamente o oposto do que fazia. Antes vilão, agora policial. Antes roubar, agora prender. No final das contas ele se torna um policial melhor do que os outros. Mas, ele seria melhor por entender as fraquezas pelo fato de já ter estado no lado oposto ou porque, no fundo, foi uma crítica à polícia de Los Angeles? Questionamentos à parte, policial ou não, ladrão ou não, o que é comum é a sua grande afeição ao oposto da sorte. Pelo menos no final ele......bom....não vou contar...senão dá azar!

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme e SORTE!!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Indicação Especial Séries: The Following

Fechamos mais um ciclo nesta data. Mais uma vez encerramos um Especial do nosso humilde Blog promovendo a vocês, caros leitores, uma Indicação. E a de hoje vem ganhando espaço de forma progressiva no mercado televisivo. Com a premissa de ser diferente de todas as séries que passam na programação dos diversos canais americanos, o homenageado de hoje tem uma história contínua e prolongada, dividida em episódios de uma hora que compuseram na primeira temporada, 15 deles. Com vocês:



The Following (2013) retrata o duelo eterno de um brilhante e carismático, porém psicótico serial killer (James Purefoy), que se comunica com outros serial killers ativos e cria uma espécie de culto dos crentes que seguem cada comando seu. O único que pode deter esta seita assassina é o ex agente do FBI, Ryan Hardy (Kevin Bacon). O FBI estima que existam atualmente mais de 300 serial killers ativos nos Estados Unidos. O que aconteceria se esses assassinos tivessem uma maneira de se comunicar e se conectar com o outro? E se eles fossem capazes de trabalhar em conjunto e formar alianças em todo o país? Bom, a bagunça está armada!


Pra não perdermos o costume clássico, vamos colocar aqui uma curiosidade que mixa o real com o roteiro:

  • Joe Carroll, o nome do assassino na série, também foi um pseudônimo usado pelo assassino  londrino John Sweeney. Sweeney era um carpinteiro que matou e desmembrou duas ex-namoradas antes de despejar os restos em canais em Roterdã e em Londres. James Purefoy, que dá vida a Carroll é inglês também. 

Criada por Kevin Williamson, The Following conseguiu atrair Bacon para o mundo das telinhas pela sua audácia e roteiro criativo. Sempre acostumado a papéis malignos, Bacon, que agora faz o mocinho da trama, admitiu que fazer uma série tem o seu lado positivo e negativo.O positivo são as constantes mudanças nos rumos dos personagens. O negativo é que não se cria nenhuma fidelidade com diretores, afinal, a cada episódio, é um diferente. Mas o que vale é o desafio. E parece que está valendo mesmo. A série teve sua temporada renovada logo depois da sua estréia e a parceria Bacon/Purefoy se encaixou perfeitamente no dualismo herói x vilão. A continuação inicia somente em 2014. Eu, com certeza, vou continuar seguindo a série. E você?


O Blog é amador, mas a curiosidade é cinematográfica!

Boa Série!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Especial Séries: Big Bang Theory

Em pleno século XXI, ser um geek é ser cool, é o novo ápice da cadeia social. Alvo de diversas provocações pelos machões estereotipados nas escolas, esta classe super inteligente conquistou o mundo justamente pelo que eles tem de melhor. Então, lá pelo ano de 2007, Chuck Lorre e Bill Prady tiveram a brilhante ideia de criar uma série que retratasse o comportamento deste grupo inserindo-os numa universidade onde, indo contra todo o tipo de lógica, eles são os pop star´s. Pronto! Foi assim que nasceu a série:




The Big Bang Theory (2007) retrata a história de Leonard Hofstadter (Johnny Galecki) e Sheldon Cooper (Jim Parsons), dois físicos brilhantes que trabalham no Caltech, em Pasadena, Califórnia. Eles são colegas, melhores amigos, e companheiros, embora seu relacionamento seja sempre testado por Sheldon da forma mais arregimentada, profundamente excêntrica e não convencional possível. Eles também são amigos dos seus colegas da Caltech, o engenheiro mecânico Howard Wolowitz (Simon Helberg) e do astrofísico Rajesh Koothrappali (Kunal Nayyar). O quarteto gasta seu tempo trabalhando em seus projetos individuais de trabalho, jogando videogame, assistindo a filmes de ficção científica, ou a leitura de histórias em quadrinhos. Como eles são nerds, tem pouca ou nenhuma sorte com as mulheres populares. Quando Penny (Kaley Cuoco), uma mulher bonita e uma aspirante a atriz originalmente de Omaha, se muda para o apartamento do outro lado da sala de Leonard e Sheldon, Leonard passa a ter outra aspiração na vida.


As curiosidades são, digamos, excêntricas!. Vamos conhecer as melhores delas:

  • Na maioria das vezes, Leonard não tem vidro em seus óculos.
  • Apesar de Sheldon Cooper ser um grande fã de Star Trek, o próprio Jim Parsons nunca viu o show, o mesmo acontece com Doctor Who.
  • Como a notoriedade da série, cada gravação do show tem a participação de estudantes da Caltech.
  • Kaley Cuoco perdeu alguns episódios da 4 ª temporada por causa de uma perna quebrada, resultado de um acidente de cavalo. Em sua primeira aparição após o acidente, ela foi filmada em pé, atrás de um balcão.
  • O título original da série era: "Lenny, Penny, e Kenny".
  • No outono de 2010, Kaley Cuoco revelou que ela e Johnny Galecki tiveram secretamente um namoro que durou dois anos antes da série.
  • Em 14 de janeiro de 2011, a CBS deu a série um voto de confiança raro quando emitiu uma renovação de três anos.

Kaley Cuoco, Jim Parsons e Johnny Galecki ganham, cada um, cerca de 350 mil dólares por episódio. Em média, uma temporada tem cerca de 24 episódios. Cada episódio tem 20 minutos de duração. Fechando o cálculo matemático, eles levam para os seus recheados bolsos 17.500 dólares por minuto de exibição faturando, em 8 meses que compõem os episódios, aproximadamente 8.4 milhões. É pouco mais de 1 milhão de dólares por mês!!! É amigos, quando a inteligência encontra a beleza, o esperto vira o novo sexy. 

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Boa Série!





sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Especial Séries: Sherlock

Continuando o nosso Especial de Séries neste mês de Setembro, a nossa próxima série é um sucesso estrondoso vindo diretamente de Londres, Inglaterra. Com um formato diferente das outras, sendo três capítulos por temporada com duração de 1 hora e meia aproximadamente para cada episódio, o homenageado de hoje tem um elenco estrelar e atuações premiadas e é, mais uma releitura de um personagem clássico dos livros e das telonas. Com vocês:




Nesta versão modernizada dos personagens de Conan Doyle, usando suas tramas policiais, Sherlock Holmes (Benedict Cumberbatch) vive no início do século 21 em Londres e age mais no sentido arrogante de ser detetive porque ele é menos confiante atualmente. O Doutor Watson (Martin Freeman) é agora um jovem veterano da guerra do Afeganistão, menos adorado e mais ativo e também o narrador de todo o enredo. Juntos, eles solucionam os casos mais difíceis e enfrentam os vilões mais ardilosos. 


Vamos conhecer as melhores curiosidades sobre a produção desta série:

  • O endereço real usado para filmar as externas da casa 221B Baker Street é o 187 North Gower Street, Londres NW1.
  • Como nos livros, o termo "dedução" é mal utilizado. Como diagnósticos médicos, caçadores e claro, detetives, o que Holmes realmente usa é uma forma de inferência chamada de "abdução", que é uma forma de indução ao invés de lógica dedutiva.
  • Nas histórias originais, Dr. Watson também prestou serviços militares no Afeganistão.
  • Nesta série, Watson foi ferido no ombro, mas tem uma dor psicossomática/ psicogênica na perna. Esta é uma referência irônica às histórias originais em que Arthur Conan Doyle era inconsistente sobre a localização do ferimento de guerra de Watson.
  • Benedict Cumberbatch foi escolhido depois que Steven Moffat e Mark Gatiss assistiram sua performance em Desejo e Reparação. Eles pensaram que ele seria um perfeito Holmes.
  • Como parte de sua preparação depois de ter sido escalado como Holmes, Benedict Cumberbatch leu cada história original de Conan Doyle.
  • Sherlock às vezes usa uma técnica de memória que ele chama de "Palácio da Mente". Esta não é uma invenção dos roteiristas, mas sim, um método de auxilio de memória que remonta à Roma Antiga. 

Criada por Steven Moffat e Mark Gatiss, sendo o último também ator que interpreta o irmão mais velho de Sherlock, Mycroft, a série teve o seu início no ano de 2010 e atualmente entrará para a sua terceira temporada. São 6 capítulos eletrizantes até o momento com finais surpreendentes e roteiros mirabolantes. O curioso é que esta série segue a mesma premissa da primeira deste Especial, Bates Motel: introduzir no dias atuais uma nova versão de um personagem antigo e clássico. Parece que esta fórmula vem dando certo para o mundo televisivo. Sendo mais específico para o post de hoje, o que podemos ver é o detetive mais querido, em pleno Século 21, emergindo de uma neblina para uma nova geração. Elementar, meu caro Watson

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Boa Série!

domingo, 8 de setembro de 2013

Especial Séries: Bates Motel

Iniciamos mais um mês, o nono do ano. Junto com ele, lançamos com muito prazer mais um Especial do nosso humilde Blog. Em Setembro, na televisão americana, se inicia a temporada de séries 2013/2014. Sendo assim, ao longo dos próximos 30 dias, vocês conheceram alguns homenageados que retornam as suas atividades retomando mais um ano de episódios novos e fresquinhos. 

O primeiro homenageado do nosso especial teve o seu início neste ano com 10 capítulos muito bem elaborados. Uma moderna releitura de um dos clássicos do Mestre do Suspense, Alfred Hitchcock. Com vocês:



Bates Motel (2013) começa com os anos anteriores de um adolescente, Norman Bates (Freddie Highmore), e sua mãe, Norma (Vera Farmiga), que moram em uma casa antiga com vista para o motel ao lado que eles estão reformando. A casa e o hotel vêm com os seus próprios segredos como nova cidade que os Bates agora chamam de lar. É um prelúdio à tentativa de explicar como Norman se tornou um dos piores vilões da história do cinema mundial. 


Como está muito no começo, esta série só tem apenas uma curiosidade:

  • Um dos escritores da série, 'Bill Balas', realmente tem fibrose cística, e foi a inspiração para a personagem Emma Decody (Olivia Cooke), que sofre da doença.

Criada por Anthony Cipriano, Bates Motel foi um sucesso de críticas do público tendo renovado para sua segunda temporada antes mesmo de terminar a primeira. O time de atores ainda é completado por Max Thieriot, Nicola Peltz e Nestor Carbonell. Fazer uma série em cima de um personagem já existente se tornou uma missão árdua e fácil ao mesmo tempo. Árdua porque deve ser muito difícil decifrar a mente de Hitchcock para desvendar como foi a criação de Norman Bates. Fácil porque existe um mundo de possibilidades de trabalhar com um adolescente que tem como melhor amigo a sua mãe. A escolha da dupla Highmore/Farmiga parece ter sido encomendada devido à tamanha química e show de interpretação. A série então se torna um doce paradoxo que vale a pena ser acompanhado. Com a segunda temporada prevista para iniciar no começo de 2014, para quem não viu, tem muito tempo para ficar em dia com o mundo e poder acompanhar de perto como foi concebida a história do vilão que ficou marcado pela sua Psicose.

O Blog é amador, mas a curiosidade é cinematográfica!

Boa Série!   

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Indicação do Mês: Manobra Super Radical (Airborne)

O oitavo mês do ano está indo embora e com ele surge uma nova indicação, tradição já aqui no blog. E as indicações são de filmes ou pouco conhecidos, ou pouco divulgados ou desmerecidos por algum percalço do caminho cinematográfico. Esta película que iremos homenagear, se muito vi, foram 2 ou 3 vezes. Porém, foi uma produção que marcou a minha infância. O processo de adaptação do personagem central é que move toda a válvula do filme. Então, com vocês:




Airborne (1993), que no título traduzido significa Manobra Super Radical retrata a vida de Mitchell Goosen (Shane McDermott), um jovem de dezesseis / dezessete anos de idade que mora na Califórnia e que gosta de surf. No entanto, seus pais, que são dois zoólogos receberam uma bolsa para trabalhar na Austrália. O único problema era: Mitchell não podia ir com eles. Então, ele é enviado para ficar com sua tia, tio e primo em Cincinnati, Ohio. Quando ele chega, encontra o seu primo que também é seu novo colega de quarto para os próximos seis meses: Wiley (Seth Green). Mitchell, em seguida, vai para a escola e já sofre bullyng dos jogadores de hóquei do ensino médio. Nesse meio termo, ele descobre duas paixões: a jovem Nikki (Brittney Powell) e o patins. Então, os jogadores, Mitchell e Wiley tem que aprender a conviver para tentar vencer os rivais de uma outra escola em uma competição de patins chamada A Espinha do Diabo


Pra não perdermos o costume, apenas duas curiosidades:

  • A Central High school é, na realidade, a Western Hills High School, alma mater do beisebol de grandes jogadores como Pete Rose e Whitey Herzog.
  • Foi filmado quando o X-Games (então chamado X-Games 101) começou a se tornar popular e a patinação in-line virou mania. Chris Edwards, que faz o personagem Walt, era conhecido por suas manobras no X-Games e foi um dos membros da Equipe de Patins dos Estados Unidos.

Dirigido por Rob Bowman sob o roteiro escrito por Stephen McEveety e Bill Apablasa, Manobra Super Radical teve um orçamento estipulado na casa dos 2 milhões e 600 mil, dando um lucro de pouco mais de 200 mil dólares. Muito pouco!! E vale ressaltar ainda que no elenco estava o iniciante Jack Black. Hoje em dia, Shane McDermott largou a sua vida de ator para se dedicar a pintura. Desde o começo pudemos perceber ao longo dos 91 minutos que a mudança para Mitchell foi completamente dolorosa. Além de ficar longe dos pais, ele ficou longe do que mais gostava de fazer na vida: surfar. Migrando para um lugar completamente oposto, ele, além de ter que lidar com os novos hábitos, teve que lidar com o preconceito. E foi através do esporte que ele soube dar a volta por cima, reacendendo uma antiga paixão e despertando novas. E assim descobrimos que os vencedores não são feitos, ele são Airborne!



O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!


Bom Filme!


sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Daylight

Ontem, num canal fechado desses da vida, mais precisamente às 22:00 horas, se iniciava um filme que há muito tempo não via. Procurando as suas curiosidades, vi coisas bem legais e então decidi que iria homenageá-lo neste post. Simples assim! Bom, simples é uma palavra que não existiu durante esta produção, afinal, fazer um acidente desta proporção e filmar em cenários tão mirabolantes deve ter sido uma tarefa muito árdua. Então, com vocês:

 


Daylight (1996) parte quando graves problemas acontecem quando ladrões em fuga num caminhão batem num carro cheio de explosivos num túnel que liga Manhattan a Nova Jersey. Os sobreviventes são deixados em um túnel enfraquecido, bloqueado em ambas as saídas. Ao se aproximar do túnel, Kit Latura (Sylvester Stallone) percebe o impacto do acidente e sabe que tem que tomar uma atitude. Com o tempo se esgotando, ele entra no túnel através de um sistema de passarelas de ventilação. Será que ele conseguirá resgatar os sobreviventes antes do túnel encher de água?


Agora sim, vamos conhecer as melhores curiosidades deste clássico de ação:

  • O Serviço Médico de Emergência de Nova York (NYC * EMS) deixou de existir no mesmo ano em que o filme foi lançado. A agência foi fundida com o Corpo de Bombeiros de Nova York e veio a ser conhecido como FDNY * EMS.
  • Stallone recebeu 17 milhões e 500 mil dólares para fazer esta película. O seu segundo maior salário até os dias atuais. 
  • A escolha original de Rob Cohen, o diretor, para Kit Latura era Nicolas Cage. Mas os executivos da Universal sentiam que ele era mais um "ator" e preferiram o comercialmente viável Sylvester Stallone.
  • Stallone anunciou que este filme seria o seu último filme de ação, já que ele se considerava velho demais para o gênero. No entanto, ele continua fazendo filmes de ação, mesmo estando na casa dos cinquenta e sessenta anos.
  • Uma das razões que Sylvester Stallone concordou em atuar no filme era para ajudá-lo a superar o medo de ser claustrofóbico. Ele tinha os mesmos desejos, quando ele atuou no filme Risco Total, para ajudá-lo a superar seu medo de altura.
  • O ator que interpreta Vincent é o filho de Stallone, Sage Stallone. Sylvester fez a sugestão ao diretor. Sage morreu no ano passado.
  • As sequências do túnel foram filmadas nos estúdios Cinecittà de Roma em um conjunto que era um terço de uma milha de comprimento. Cinecittà foi escolhido como o principal set por causa de seus enormes palcos de som inundáveis.
  • O diretor aparece em cena. Ele é um dos homens de negócios em uma das primeiras cenas com o personagem de Viggo Mortensen.

Escrito por Leslie Bohem, este desastre teve um orçamento estimado em 80 milhões de dólares e teve a sua estréia nas telonas na Itália. Nada mais justo, afinal, a maioria das cenas foram gravadas nos estúdios de lá. Durante os 114 minutos de duração, do acidente até o resgate, podemos perceber que os sobreviventes a cada segundo ficavam sem ar, sem saída, sem tempo e sem esperança. O interessante de tudo é perceber que as pessoas entraram no túnel sozinhas, mas elas só conseguirão sair unidas. Uma bela lição de que a união faz a força. E, como o próprio nome da película sugere, há uma luz no fim do túnel.  E essa luz tem nome e sobrenome. Rá, só podia ser Sylvester Stallone

O Blog é amador, mas as curiosidades são cinematográficas!

Bom Filme!